A presença de outra pessoa ao meu lado; só a sua energia ao meu lado, a andar, era muito forte.

...

Tive um ano muito difícil. Queria começar uma nova fase. Iniciar qualquer coisa. Pensei que o Caminho era uma boa iniciativa. Fazer algo que nunca tivesse feito: andar 800 quilómetros.

Vi no Caminho que a palavra muitas vezes não era necessária, porque a comunicação vai para além da palavra. Encontrei pessoas em albergues que transformaram a minha viagem, o meu Caminho.

A presença de outra pessoa ao meu lado; só a sua energia ao meu lado, a andar, era muito forte. Nunca na minha vida tinha tido uma experiência assim: via tudo com grande claridade. O meu corpo e a minha mente. E isto aproximava-me de verdade de uma natureza que eu chamo divina, muito forte, intensa e bela.

Tive um ano muito difícil. Queria começar uma nova fase. Iniciar qualquer coisa. Pensei que o Caminho era uma boa iniciativa. Fazer algo que nunca tivesse feito: andar 800 quilómetros.

Somos todos iguais, partilhamos um planeta, um espaço comum. E é preciso pouco para viver, para ser feliz.