Caminho Português

O culto jacobeu teve no Caminho Português um território fundamental para entender a verdadeira dimensão internacional do fenómeno das peregrinações

Caminho Português:

  • Distância 117,5 Km
  • Dificuldade Média-Baixa

Caminho Português pela costa:

  • Distância 162,6 Km
  • Dificuldade Média-Baixa
Tui, vista de Portugal

Este itinerário ganhou relevância sobretudo a partir do século XII, após a independência de Portugal. O seu traçado herda estradas e caminhos antigos, como a Via XIX, construída no século I d. C., que ligava Braga a Astorga através de Ponte de Lima, Tui, Pontevedra, Santiago e Lugo, e que foi uma das calçadas romanas mais importantes, pois estruturou a Gallaecia. Uma variante deste Caminho pela costa atravessa o rio Minho pel’A Guarda e, sempre junto ao mar, conflui com a interior em Redondela.

O culto jacobeu teve no Caminho Português um território fundamental para entender a verdadeira dimensão internacional do fenómeno das peregrinações. Este itinerário ganhou relevância sobretudo a partir do século XII — após a independência de Portugal, a meados do século.

Traçado do itinerário e recursos de interesse

A partir do século XII, o fluxo dos peregrinos para o norte da Península foi estabelecendo ligações não só espirituais mas também culturais e económicas, laços humanos que as fronteiras políticas nunca puderam quebrar.

A partir do século XII, o fluxo dos peregrinos para o norte da Península foi estabelecendo ligações não só espirituais mas também culturais e económicas, laços humanos que as fronteiras políticas nunca puderam quebrar. O exemplo de reis, nobres e altos clérigos contribuiu decisivamente para assentar uma grande devoção jacobeia, tal como a célebre peregrinação de Dona Isabel de Portugal, a "Raíña Santa", no século XIV, que oferece diante do altar de Santiago a coroa, vindo a ser enterrada em Coimbra com um bordão de peregrina. Outro exemplo é o do rei português Manuel I, que peregrina de Lisboa a Santiago em 1502, e ordena como lembrança da sua estadia em Compostela que uma lâmpada ilumine o templo santiaguês dia e noite, para o qual atribuirá um rendimento anual.

Foi tal a marca em terras lusas do fenómeno jacobeu que a própria rede rodoviária de Portugal se configuraria assim, de sul a norte, passando pelos lugares que o Caminho Português ia fixando para a Galiza: Lisboa, Santarém, Coimbra, Porto, Barcelos, Ponte de Lima e Valença do Minho, onde o itinerário atravessa o rio Minho e entra na Galiza.

No século XIX, o de menor afluência de peregrinações — em consequência dos novos tempos marcados pela Revolução Francesa e pela invasão de Espanha pelas tropas napoleónicas —, o Caminho Português tornou-se, não obstante, na via de Santiago mais ativa. Nesse século, mais de 80 % dos peregrinos estrangeiros foram portugueses.