Caminho Francês

O Caminho Francês é o itinerário jacobeu com maior tradição histórica e o mais internacionalmente reconhecido.

Por San Xil:

  • Distância 154,7 Km
  • Dificuldade Média

Por Samos:

  • Distância 161,7 Km
  • Dificuldade Média
Uma das páginas do Códice Calistino com desenho em miniatura do apóstolo Santiago.

É o Caminho por excelência. O itinerário jacobeu com maior tradição histórica e o mais internacionalmente reconhecido. Foi descrito já em 1135 no Codex Calistinus, livro fundamental jacobeu. O Livro V deste códice constitui um autêntico guia medieval da peregrinação a Santiago. Nele se especificam as partes do Caminho Francês desde terras gaulesas e informa detalhadamente sobre os santuários do itinerário, a hospitalidade, as pessoas, a comida, as fontes, os costumes locais, etc. Tudo está escrito com a síntese e claridade necessárias para uma resposta prática a uma procura específica: a peregrinação a Santiago.

Este guia, atribuído ao clérigo francês Aymeric Picaud, evidencia o desejo político-religioso de fazer promoção do santuário compostelano e de facilitar o acesso até ao mesmo. Quando este livro foi confecionado, o Caminho Francês e as peregrinações alcançaram o seu máximo apogeu e o Caminho Francês a maior afluência, se excluirmos o momento atual. Santiago tornou-se a meta de peregrinos provenientes de todo o orbe cristão.

Traçado do itinerário e recursos de interesse

O Livro V do Codex Calistinus constitui um autêntico guia medieval da peregrinação para Santiago. Nele se especificam as partes do Caminho Francês desde terras gaulesas.

Com o passar dos séculos e os avatares políticos e religiosos europeus, o itinerário físico do Caminho Francês perdeu peso específico. É no fim do século XIX que surge um renovado interesse na temática jacobeia, que continua na segunda metade do século XX com a progressiva recuperação do velho itinerário, internacionalmente reconhecido como um dos símbolos históricos da unidade europeia.

O Caminho Francês adquire um traçado preciso em França através das quatro vias principais já descritas no Codex Calistinus. Três destes itinerários (Paris-Tours, Vézelay-Limoges e Le Puy-Conques) entram em Espanha por Roncesvalles, na Navarra, enquanto a quarta (Arles-Toulouse) entra pelo porto de Somport e continua até Jaca, em terras de Aragão. O itinerário de Roncesvalles, que atravessa a cidade de Pamplona, junta-se com o aragonês em Puente La Reina (Navarra).

Desde Puente La Reina, o Caminho Francês mantém um único itinerário que atravessa localidades e cidades do norte de Espanha tão significativas como Estella, Logronho, Santo Domingo de la Calzada, Burgos, Castrojeriz, Frómista, Carrión de los Condes, Sahagún, Leão, Astorga, Ponferrada e Villafranca del Bierzo.

O Caminho Francês entra na Galiza pela comarca do Bierzo.

Os Caminhos Francês, Inglês, do Norte e Primitivo, bem como todas as entradas para Santiago de Compostela, estão delimitados oficialmente pelo Governo Regional da Galiza. Pode-se consultar as informações em www.cultura.gal/es/caminhos-santiago.