O Caminho foi falar com os outros, estar com os outros, conviver... e ajudar.

...

Eu já tenho uma certa idade, 60 anos, mas estou a ir muito bem. Aguento tudo.

O Caminho foi falar com os outros, estar com os outros, conviver. Inclusivamente ajudar a curar feridas… Nunca tinha visto, nem tocado no pé, por exemplo, de um australiano. E o que é que haveria de ter visto…

Sobrava muito tempo para pensar, pensar, pensar… E saber mais ou menos como uma pessoa é. O Caminho ajudou-me muito a conhecer-me.

A partir de Astorga começava o desafio pessoal, porque era um bocadinho duro. Mas fazia-se com uma alegria!… Porque cada vez faltava menos e uma pessoa enriquecia-se mais todos os dias.

As pessoas ajudaram-nos, incentivaram-nos. Tanto nos albergues como nas terras por onde passámos.